Você está aqui:   Serviços   >   Notícias do TCE
Professores da rede pública de ensino de Sabará vêm ao Tribunal conhecer o app Na Ponta do Lápis
12/09/2017

O assessor da Presidência, Pedro Henrique Azevedo, explicou como funciona o Tribunal de Contas para os educadores (Foto: Thiago Rios)“O que a gente precisa é não naturalizar o descaso com a Educação. Precisamos voltar a nos indignar”. Com essas palavras, a assessora da Presidência, Naila Mourthè, incentivou os professores da rede pública de ensino do município de Sabará (Região Metropolitana de Belo Horizonte) hoje (12/9/2017) a usarem o software aplicativo Na Ponta do Lápis. Ao todo, 160 educadores de Sabará estiveram no TCEMG. O app desenvolvido pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) possibilita o relato de problemas nas escolas, com a possibilidade de acompanhamento de ocorrências pelo próprio app. Tudo na palma da mão. Além disso, o gestor (que, no caso, é a direção da escola) tem acesso a todos os índices e informações sobre a sua escola e as da sua região; e deve se posicionar sobre os acontecimentos à sociedade.

O presidente do TCEMG, conselheiro Cláudio Couto Terrão, também recebeu os professores. Ele agradeceu a presença de todos e pediu o envolvimento deles no projeto. O presidente falou de sua paixão pela Educação e convidou a todos para acessarem o portal do TCEMG, onde poderão entender o porquê dessa paixão, ao saberem um pouco mais sobre sua história de vida, por meio das reportagens e matérias contidas no portal eletrônico do TCE.

“O nosso objetivo é fazer com que o Plano Nacional de Educação (PNE) seja concretizado e o primeiro passo para isso é o lançamento do app. A participação de vocês nisso é realmente significativa”, pediu o presidente do TCE. Terrão também abriu espaço para que os professores fizessem perguntas a ele. O assessor da Presidência, Pedro Henrique Azevedo, explicou para os educadores como funciona o Tribunal de Contas. A equipe da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), liderada por Cristiana Siqueira, mostrou aos educadores as funcionalidades do app e como baixar o aplicativo em seus celulares. O lançamento oficial da ferramenta tecnológica Na ponta do Lápis será no próximo dia 26, terça-feira.

Naila Mourthè informou que o app foi pensado como uma maneira de “encurtar distâncias” entre a sociedade e os responsáveis pela Educação. Ela lembrou que, no último dia 5, 36 técnicos do TCEMG, divididos em dez equipes, estiveram em 46 escolas públicas de Sabará “tirando um retrato da Educação de Sabará e validando o app”. O retrato a que a assessora se refere pode ser entendido em seu significado literal, já que o aplicativo disponibiliza um recurso de anexar foto sobre qualquer problema enfrentado nas instituições de ensino.

A vice-diretora da Escola Municipal Santos Dumont, Ana Fabrícia Tavares (Foto: Thiago Rios)A vice-diretora da Escola Municipal Santos Dumont, Ana Fabrícia Tavares, se preocupou com o fato de o diretor precisar dar respostas aos questionamentos enviados pelo app e quis saber sobre como farão para responder a demandas que não dependem apenas da vontade do gestor escolar. “Vamos ter como nos justificar? A gente tenta ao máximo resolver. A minha escola, por exemplo, o muro caiu por causa de enchente, não tem acessibilidade e o piso da biblioteca corre o risco de afundar. Mas, a gente não consegue resolver”. A assessora Naila explicou que nesses casos, a situação chega à Secretaria de Educação, “por ser da alçada deles”. A Escola Santos Dumont fica situada no bairro Borba Gato, em Sabará, no km 14 da BR-381. A educadora trabalha lá há 12 anos.

Outra situação que Naila explicou foi o caso da não validação, por parte do diretor, de alguma ocorrência relatada pela sociedade em geral (pais, alunos, outros). “Pode ser um indício de irregularidade e um convite à investigação pelo Tribunal”, disse. A assessora também informou que, caso uma ocorrência seja sempre não validada pelo diretor, o cidadão pode recorrer a fazer uma denúncia ao Tribunal de Contas ou procurar a Ouvidoria do TCEMG.

A vice-diretora da Escola Municipal Santos Dumont, Ana Fabrícia Tavares (Foto: Thiago Rios)O professor Alexsander Cunha, da Escola Municipal vereador José Lopes, está esperançoso com o aplicativo e disse que ele pode solucionar muitos problemas. Ele conta que a escola em que ele dá aula enfrenta muitos problemas com o espaço físico, que está mal conservado. Ele também explicou que sente que o diretor pode enfrentar dificuldades na hora de se justificar para a comunidade escolar. Alexsander mencionou que este foi o primeiro contato dele com o Tribunal de Contas.

De “dever de casa” para todos, a assessora pediu aos professores que leiam a Lei nº 13.005/2014 – que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) -, que conheçam o plano municipal de educação da cidade de Sabará e que baixem o aplicativo em seus celulares.


Karina Camargos Coutinho | Coordenadoria de Jornalismo e Redação