Você está aqui:   Serviços   >   Notícias do TCE
Sabará é a primeira cidade de Minas a testar aplicativo de controle da qualidade da educação
06/09/2017

A coordenadora do projeto, Naila Mourthé, apresentou o aplicativo para os alunos

Motivados com a ideia de fornecer para a sociedade uma ferramenta de fiscalização, 10 equipes do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), formada por 36 técnicos, estiveram em Sabará no dia 05 de setembro para colocar em prática mais uma das vertentes do Projeto Na Ponta do Lápis que foi lançado no dia 31 de março deste ano. A motivação extra, que nas primeiras horas do dia 05 reuniu equipes de várias áreas do TCEMG, foi a validação do aplicativo para celulares e tablets que leva o mesmo nome do projeto e que foi lançado em fase de testes nas 46 escolas públicas do município da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A reportagem do TCEMG acompanhou uma das equipes técnicas em três das 46 escolas visitadas. A primeira parada foi na Escola Estadual Dona Bilu Figueiredo (centro da cidade) onde os alunos responderam, junto com os técnicos do Tribunal de Contas, pelo aplicativo Na Ponta do Lápis, a um questionário sobre a qualidade da biblioteca da escola. Em outra sala da mesma instituição de ensino, os estudantes do 9º ano que assistiam à aula de matemática da professora Kenya Nunes, também responderam aos questionários do aplicativo depois que o coordenador da 2ª Coordenadoria de Fiscalização dos Munícipios do TCE, Paulo Henrique Figueiredo, explicou as funcionalidades da nova ferramenta que pode revolucionar a fiscalização do Tribunal de Contas na área de educação.

O servidor Paulo Henrique apresentou o app para a professora KenyaPara professora Kenya o aplicativo “é uma forma de as escolas terem argumentos junto ao Governo para conseguir atender às demandas. Espero que, na medida em que a comunidade escolar e os cidadãos começarem a enumerar os problemas, isso se torne um argumento numérico registrado para que o gestor escolar possa ir atrás de outras esferas para resolver os problemas verificados através das demandas geradas pelo aplicativo”. O vice-diretor da escola Bilu Figueiredo, Eraldo Machado, explicou que “às vezes existem problemas que a direção não consegue identificar e, com mais gente ajudando é mais fácil para escola tentar resolver”. Na oportunidade, a rádio amadora da escola divulgou a presença da equipe do Tribunal de Contas, enquanto o locutor mirim estimulava seus colegas baixarem o aplicativo que será lançado oficialmente dia 26 de setembro.


Depois da visita à instituição de ensino do centro da cidade, a equipe seguiu para a Escola Municipal Rosalina A professora Denise LaraAlves Nogueira, no bairro Pompéu, localizada na zona rural de Sabará. A assessora da Presidência e coordenadora do Projeto, Naila Mourthé, foi a responsável por explicar as funcionalidades do aplicativo para os alunos da professora Denise Lara. Após a explicação, os estudantes encheram os pulmões para responder, junto com a coordenadora do projeto, aos questionários do aplicativo relativos à sala de aula, à biblioteca e à segurança da escola. A professora Denise contou que muitas vezes os professores “têm dificuldades em falar diretamente com os órgãos responsáveis sobre os problemas relativos à escola e, com o aplicativo, eles agora irão ter uma forma comunicação muito mais rápida”. A professora Patrícia Penna foi outra que fez questão de demonstrar sua empolgação com o aplicativo e disse que assim “que ele estiver disponível para download será uma das primeiras a baixar e começar a usá-lo”. A diretora da escola Rosalina Alves, contou que na “próxima reunião de pais irá apresentar o aplicativo e explicar que agora eles possuem um canal direto para relatar os problemas da escola”.


O disciplinário Edmilson OliveiraA última parada da equipe foi na Escola Municipal Vereador José Lopes, no bairro Nossa Senhora de Fátima. Dessa vez, o disciplinário Edmilson Oliveira foi quem expressou sua satisfação em poder contar com uma ferramenta focada no controle da qualidade da educação. Edmilson, que conhece bem os problemas enfrentados pela escola do bairro, que é localizada na periferia de Sabará e possui problemas com assaltos, furtos e tráfico de drogas, lembrou que quando os investimentos “são realizados desde a educação infantil a segurança pública consequentemente também melhora”.

Para a diretora de Tecnologia da Informação do TCEMG, Cristiana Siqueira, os testes foram bem sucedidos e no dia seguinte à coleta “os bancos de dados do Tribunal de Contas foram alimentados e já poderemos apresentar os resultados desse primeiro levantamento”. A coordenadora do Na Ponta do Lápis, Naila Mourthé, contou que “a partir de agora esse projeto ganha uma amplitude e o aplicativo vai possibilitar que as pessoas tenham a possibilidade de efetiva participação na cobrança da qualidade da educação”.

O município de Sabará foi escolhido para os testes do aplicativo porque faz parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, permite o deslocamento de vários servidores do TCEMG ao mesmo tempo, é uma cidade que possui uma estrutura suficiente para os primeiros testes do aplicativo e o prefeito abriu as portas para receber esse projeto piloto do TCEMG. 


Redação: Thiago Rios Gomes
Fotos: Karina Camargos Coutinho